Psoríase – você sabe o que é?
Doenças Saúde

Psoríase – você sabe o que é?

setembro 27, 2017   •   por Karen Coelho

Psoríaseo que é psoríase

As doenças de pele atingem muitas pessoas, e a psoríase está entre as mais comuns. Ela é uma doença que não cura, mas seus sintomas podem ser amenizados e controlados com o uso de cremes e pomadas específicos. Procurar um tratamento adequado é importante para ajudar a reduzir os sintomas desagradáveis como a coceira e pele seca. Confira a seguir as causas, sintomas, tratamentos e outras informações sobre psoríase.

O que é?

A psoríase é uma doença de pele caracterizada por lesões avermelhadas que surgem em forma de placas. Essas lesões podem surgir no couro cabeludo, joelhos, cotovelos, pés, mãos, unhas e até mesmo na região genital.  A psoríase pode provocar lesões em apenas pequenos pontos da área afetada ou o comprometimento total da pele daquela região.

Ela também é considerada uma doença autoimune que não é contagiosa, mas pode ser recorrente. Por isso, quem já apresentou alguma vez na vida um episódio de psoríase pode ter novamente a qualquer momento. A sua gravidade pode de pessoa para pessoa, podendo apresentar sintomas leves de fácil tratamento até casos mais sérios, que acometem as articulações.

Tipos de psoríase

– Psoríase vulgar:

Esse é o tipo mais comum e surge através de placas avermelhadas, secas e com escamas que podem ser esbranquiçadas ou prateadas. Essas placas coçam e pode atingir todas as partes do corpo.

Psoríase ungueal:

Esse tipo de psoríase atinge as unhas das mãos e dos pés e os sintomas não causam tanto incomodo. Nesse caso, a unha fica grossa, deformada, com outra coloração e ainda pode crescer de forma anormal.

– Psoríase do couro cabeludo:

é caracterizada por regiões avermelhadas com escamas esbranquiçadas, que se intensificam ao coçar. Pode ser confundida com a caspa.

– Psoríase gutata:

Esse tipo é menos frequente, pois é provocado por infecções bacterianas. Os sintomas incluem pequenas feridas no formato de gota que surgem nos braços, pernas, tronco e couro cabeludo. É mais comum em crianças e em pessoas com até 30 anos.

– Psoríase invertida:

Esse tipo de psoríase aparece com mais frequência em regiões úmidas do corpo como virilha, axilas e ao redor dos genitais. Nesse caso as manchas são avermelhadas e ficam inflamadas.

– Psoríase pustulosa:

Essa forma da doença pode causar outros sintomas desagradáveis além da coceira e feridas como febre, calafrios e fadiga. Podem aparecer manchas e bolhas com pus em todas as regiões do corpo.

– Psoríase eritodérmica:

Esse tipo é um dos mais raros e pode atingir o corpo inteiro apresentando manchas vermelhas que coçam e ardem de forma intensa. Entre as suas causas se destacam infecções e queimaduras graves.

– Psoríase artropática:

Esse tipo de psoríase é o mais grave, pois afeta as articulações de várias partes do corpo, como dedos, coluna e quadril. Além disso pode causar deformidades permanentes nessas regiões.

Sintomas da psoríasecomo tratar a psoríase

Os sintomas da doença podem variar muito de pessoa para pessoa, e também conforme o tipo de psoríase, mas podem incluir:

  • Manchas vermelhas com escamas secas esbranquiçadas ou prateadas;
  • Pequenas manchas brancas ou escuras que aparecem após as lesões;
  • Pele ressecada e rachada; podendo causar sangramento;
  • Coceira, queimação e dor;
  • Unhas grossas, sulcadas, descoladas e com depressões;
  • Inchaço e rigidez nas articulações.

Quem tem a psoríase moderada pode sentir apenas um desconforto devido aos sintomas, porém nos casos mais graves pode prejudicar a qualidade de vida do paciente, já que pode ser bem dolorosa.

Causas da psoríase

Ainda não descobriram a verdadeira causa da psoríase, mas os especialistas e pesquisadores acreditam que a célula T que está presente em nosso sistema imunológico, percorre todo o nosso organismo em busca e elementos invasores como bactérias e vírus com o objetivo de eliminá-los. Nas pessoas com psoríase, essas células acabam atacando as células saudáveis da pele, com o objetivo de tratar uma infeção ou cicatrizar uma ferida.

Esse processo pode causar a dilatação de vasos sanguíneos e ainda aumentar os glóbulos brancos, que vão rapidamente para camadas mais externas da pele, provocando as lesões avermelhadas características da psoríase. É um ciclo que só é estabilizado com um tratamento adequado.

Além disso, a genética também contribui para o desenvolvimento da doença, além de fatores externos. Veja a seguir outras possíveis causas da psoríase:

  • Infecções de garganta e de pele;
  • Lesões na pele, como feridas, machucados, queimaduras de sol, entre outras;
  • Estresse;
  • Mudanças no clima;
  • Tabagismo;
  • Excesso de bebidas alcoólicas;
  • Medicamentos utilizados para o tratamento de doenças como pressão alta, maláia e transtorno bipolar;
  • Alterações bioquímicas;
  • Obesidade, pois o excesso de peso pode aumentar o risco de desenvolver algum tipo de psoríase.

Tratamento da psoríase

Apesar de ser uma doença sem cura é imprescindível procurar um médico dermatologista para realizar o tratamento adequado, com o objetivo de melhorar os sintomas e principalmente para evitar novos episódios da doença. O tratamento é escolhido pelo médico de acordo com o tipo e a gravidade da psoríase, pois um reage de um jeito ao tratamento. Além disso, o tratamento é feito de forma individual, pois o que pode funcionar para um paciente pode não funcionar para outro.

Os tratamentos mais comuns da psoríase de grau leve são os com medicamentos em cremes e pomadas, que podem ser aplicados diretamente na pele. Eles podem ser usados de forma separada ou em conjunto com outros tipos de terapias. No caso de psoríase de moderada a grave o tratamento com injeções e comprimidos pode ser indicado para melhorar os sintomas desagradáveis da doença.

Muitos médicos também indicam o tratamento de pele realizado com exposição à luz violeta que só pode ser feito com supervisão médica e com profissionais especializados na técnica.

Prevenção da psoríase

A melhor forma de prevenir a psoríase é mantendo um estilo de vida saudável, já que esse fator ajuda na melhora da doença. Já quem tem a doença no histórico familiar deve redobrar os cuidados evitando altos níveis de estresse, tabagismo, excesso de peso, consumo de bebidas alcoólicas, além de manter a saúde sempre em dia.

Para evitar que a psoríase piore, é importante sempre ficar atento aos seus sintomas, que muitas vezes passam despercebidos. No caso de suspeita de qualquer um dos sintomas da psoríase, procure um médico dermatologista o quando antes, pois o diagnóstico precoce da doença facilita o seu tratamento.

Psoríase – você sabe o que é?
Avalie este post
Compartilhe!
Karen Coelho
Carioca, advogada, blogueira, coach de emagrecimento, coach de alta performance, analista comportamental do obeso e uma eterna entusiasta da vida. Criei o blog da Karen para poder compartilhar com vocês minha paixão pelo universo feminino.
Deixe seu Comentário