Herpes genital – mais comum do que você imagina!
Doenças

Herpes genital – mais comum do que você imagina!

setembro 25, 2017   •   por Karen Coelho

Herpes genitalcomo é a herpes genital

Entre as doenças sexualmente transmissíveis mais comuns, está a herpes genital. Segundo pesquisas, mais de 140 milhões de pessoas no mundo com idades entre 15 e 49 anos estão infectadas pela doença.  A doença causa muito desconforto, já que além de dor causa feridas nas genitais.

O herpes genial causa tanto desconforto, que é considerada uma das doenças mais temidas pelas pessoas que têm a vida sexualmente ativa. O vírus da doença é transmitido durante o contato sexual sem proteção. A seguir, descubra quais são as causas, sintomas, prevenção e tratamento dessa DST.

O que é?

O herpes genital é uma doença sexualmente transmissível, ou seja, que é transmitida através do contato sexual. A doença é causada pelo vírus herpes simples (HSV), que causa lesões na pele e nos órgãos genitais de homens e mulheres. Quando o vírus do herpes entra no organismo é muito difícil de sair, porque ele se multiplica com facilidade. Além disso, o sistema imunológico não consegue combater o vírus, pois ele fica localizado dentro das raízes nervosas.

Causas do herpes genital

A doença é causada pelo vírus herpes simples, também conhecido como HSV, podendo ser do tipo 1 ou tipo 2. Os dois tipos do vírus do herpes genital podem ser contraídos principalmente através da relação sexual desprotegida. O vírus HSV 1, ocorre com mais facilidade na boca, nariz e olhos podendo chegar até a região genital por meio do sexo oral. Já o HSV- 2 é o mais comum se alojar nas regiões genitais, ânus e nádegas.

O vírus da doença pode ficar incubado no organismo até quinze dias após o contato sexual sem proteção com o portador do vírus. É importante saber que o vírus do herpes pode ser transmitido mesmo se o seu portador não apresentar as lesões cutâneas. Isso porque nem sempre o portador apresenta lesões e muitas vezes essas lesões podem ter cicatrizado.

O contágio do vírus causador da doença também pode acontecer através da saliva e fluídos dos órgãos sexuais de pessoas infectadas. Por isso, é importante saber que mesmo quando os sintomas do herpes genital não são visíveis, a pessoa que possui o vírus pode passar a doença sem saber que a possui.

Sintomas de herpes genital

A doença pode causar uma série de sintomas, porém nem sempre eles se manifestam. Por esse motivo que muitas vezes as pessoas não descobrem que foram infectadas com o vírus. No entanto, muitas pessoas podem sentir alguns sintomas, sendo os mais comuns:

  • Dores e irritações nas genitais;
  • Manchas vermelhas e bolhas esbranquiçadas;
  • Úlceras genitais que podem vir acompanhadas de dor ao urinar;
  • Cascas que surgem após a cicatrização das úlceras;
  • Dor ao urinar;
  • Coceira e queimação;
  • Linfonodos aumentados e sensíveis;
  • Febre, falta de apetite, mal estar e dores musculares podem aparecer assim que o vírus entra no organismo.

As feridas que também estão entre os principais sintomas do herpes genital, podem aparecer logo após a entrada do vírus no organismo. O problema pode piorar quando a pessoa toca essas feridas e logo em seguida em outras partes do corpo, pois elas são contagiosas e podem se alastrar. As feridas do herpes genital podem atingir o pênis, saco escrotal, uretra, vagina, colo do útero, vulva e até mesmo nas nádegas e ânus.

Tratamento de Herpes genitalherpes genital tratamento

Infelizmente ainda não descobriram a cura para o herpes genital, mas o tratamento da doença ajuda amenizar os sintomas desagradáveis e também a impedir complicações mais graves. O tratamento adequado com o médico é muito importante para o bem estar do paciente.

O tratamento do herpes genital é realizado através do uso de medicamentos antivirais, que ajudam a reduzir os sintomas durante uma crise, ajudando a curar as lesões rapidamente. Os pacientes que sofrem de crises recorrentes precisam começar o tratamento com os medicamentos assim que começar os primeiros sintomas.

No caso de pessoas que sofrem com muitas crises, na maioria das vezes os médicos indicam o uso diário desses medicamentos por um tempo determinado. O tratamento ideal para cada caso é muito importante para evitar crises e reduzir a sua duração.

Gestantes que possuem o vírus do herpes genital também devem receber o tratamento adequado, porém apenas com medicamentos que apresentam baixo risco a gestação. O tratamento pode ser feito durante o último mês de gestação com o objetivo de reduzir as chances de uma crise durante o parto. No caso de uma crise no dia do parto, é preciso realizar uma cesariana para reduzir o risco de infectar o bebê.

Prevenção de herpes genital

Por ser uma doença que não tem cura é preciso tomar todos os cuidados possíveis para evitar o seu contágio. A melhor maneira de prevenir a o herpes genital é usando preservativo em todas as relações sexuais e evitar a troca de parceiros.

As pessoas que já contraíram o vírus precisam tomar cuidado para não transmiti-lo para outras pessoas. Vale lembrar que a doença também é transmitida através do sexo oral desprotegido. Pessoas que têm apenas um parceiro sexual correm menos risco de contrair o vírus.

Recomendações importantes

Mulheres que desejam engravidar devem fazer o teste para saber se não possuem o vírus do herpes genital. Isso mesmo sem apresentar lesões e outros sintomas da doença. Procurar um médico antes de engravidar é importante, porque o herpes genital na gravidez pode ser muito perigoso, pois pode causar aborto espontâneo e herpes congênito.

Apesar das lesões do herpes reduzirem e sumirem espontaneamente em pacientes com sistema imunológico resistente, elas podem voltar de repente várias vezes no ano. Além disso, elas podem continuar transmitindo o vírus.

Ao perceber qualquer um dos sintomas do herpes genital, procure um médico o quanto antes. Somente um médico pode realizar o diagnóstico da doença que é realizado com exames específicos. Após ser confirmado o diagnóstico o médico poderá indicar o tratamento mais adequado para cada caso. O uso de medicamentos sem a receita de um médico pode piorar os sintomas da doença e ainda causar complicações.

Previna-se do herpes genital usando camisinha em todas as relações sexuais, inclusive no sexo oral.

Avalie este post
Compartilhe!
Karen Coelho
Carioca, advogada, blogueira, coach de emagrecimento, coach de alta performance, analista comportamental do obeso e uma eterna entusiasta da vida. Criei o blog da Karen para poder compartilhar com vocês minha paixão pelo universo feminino.
5 comentários
  1. Aline
    novembro 22, 2017

    Essa situação de conviver com o herpes é muito desgastante e difícil.

  2. GG
    dezembro 24, 2017

    Grupo pra herpes .manda msg pra mim. O grupo é bem participativo ,tira dúvidas etc .bjs ! Fiquem na paz .

  3. Lucas
    janeiro 17, 2018

    Participo de um grupo para portadores de herpes onde nos ajudamos com dicas de tratamentos e apoio moral. Me chame no whatsapp pra participar : 31 991440561

  4. Matheus
    outubro 29, 2018

    Só tenho a agradecer ao médico e ao laboratório pela atenção, estou compartilhando minha experiência que posso dizer foi muito excelente.

Deixe seu Comentário