Cuidado: Jejum intermitente pode aumentar o risco de diabetes
Dietas

Cuidado: Jejum intermitente pode aumentar o risco de diabetes

agosto 06, 2018   •   por Karen Coelho

Principalmente em mulheres. É isso mesmo, uma das dietas mais seguidas na atualidade esconde um mal invisível, que pode desencadear em problemas de saúde.

O jejum intermitente é um tipo de dieta que ganhou destaque por provocar o emagrecimento rápido e oferecer alguns benefícios a saúde como, por exemplo, a diminuição do risco de aparecimento de doenças cardíacas.

Entretanto, algumas pesquisas já foram realizadas e elas conseguiram detectar que a adesão a dieta do jejum intermitente pode ocasionar problemas ao metabolismo humano, assim como elevar o risco de desenvolvimento da diabetes do tipo 2, em especial nas mulheres.

Mas antes de abordar melhor essa questão é importante comentar sobre como funciona a dieta do jejum intermitente, os seus benefícios e as suas desvantagens. Veja a seguir todos os detalhes.

Como funciona a dieta do Jejum Intermitente?

Cuidado: Jejum intermitente pode aumentar o risco de diabetes em mulheres

A Dieta do Jejum Intermitente é baseada no consumo reduzido de carboidratos, os quais geralmente são responsáveis pelo aumento da fome e consequentemente na necessidade diária de se alimentar entre 6 e 8 vezes.

Além dos carboidratos é necessário que se corte também o açúcar. Ao tomar bebidas como os sucos, cafés ou mesmo chás procure consumi-los puros, ou seja, sem o acréscimo de açúcar. Caso sinta dificuldade no paladar, substitua o açúcar pelo adoçante.

De forma semelhante aos carboidratos, a redução ou ausência de açúcar no organismo diminui consideravelmente a vontade irresistível de comer. Com essas considerações e modificações realizadas, o indivíduo pode dar início ao jejum, o qual tem como um de seus principais objetivos quebrar a gordura que fica reservada no organismo para gerar a energia necessária para o seu devido trabalho.

Tipos de Jejum Intermitente

Nesta dieta existem alguns tipos ou protocolos que uma pessoa pode seguir para conseguir perder peso mais rapidamente. Veja a seguir quais são os principais.

Protocolo Leangains ou Método 16/8 – Trata-se do modelo criado pelo personal trainer e consultor nutricional sueco Martin Berkhan (também conhecido como Khan). De acordo com ele, os adeptos da dieta devem se alimentar durante o período de 8 horas e fazer jejum pelas próximas 16 horas.

É recomendável às mulheres se alimentarem durante 10 horas e jejuarem as demais 14 horas. Durante a janela de alimentação é permitido fazer entre 2 e 3 refeições, mas se quiser poderá fazer mais. No início pode ser difícil, todavia a adaptação é bem rápida.

Protocolo Eat-Stop-Eat (Coma-Pare-Coma) – Neste modelo é necessário fazer um jejum de 24 horas, durante um ou dois dias por semana. Se, por exemplo, você almoçou as 12 horas só poderá se alimentar a partir das 12 horas do dia seguinte.

O método foi criado pelo especialista em nutrição canadense Brad Pilon. Para obter o sucesso com o Eat-Stop-Eat é importante se alimentar corretamente durante o período normal de alimentação e evitar compensações após o jejum realizado.

Dieta 5:2 – Trata-se de um dos métodos mais populares do Jejum Intermitente. Criada pelo médico britânico Michael Mosley, a dieta também é conhecida pelo nome de “Dieta dos 2 dias”, já que a proposta é comer normalmente durante 5 dias, enquanto os 2 dias seguintes da semana deve-se restringir o consumo de calorias entre 500 (mulheres) e 600 (homens).

Desta forma, durante estes dois dias de dieta será necessário fazer duas refeições pequenas, as quais devem ser de 250 kcal para as mulheres e 300 kcal para os homens.

Principais benefícios do Jejum Intermitente

De acordo com pesquisas realizadas observou-se que a dieta do Jejum Intermitente oferece vários benefícios como os listados abaixo:

  • Perder peso;
  • Redução da resistência à insulina no organismo;
  • Redução nos casos de inflamação;
  • Melhora na saúde cardiovascular;
  • Prevenção ao surgimento do câncer;
  • Prevenção ao surgimento do Mal de Azheimer e outras doenças cerebrais;
  • Prevenção ao envelhecimento.

Por que o Jejum Intermitente é prejudicial as mulheres?

Fazer jejum não é uma tarefa fácil, pois exige sacrifício e disciplina e uma dieta neste molde potencializa a dificuldade, uma vez que estamos habituados a nos alimentarmos todos os dias respeitando os horários.

Ainda que importantes benefícios já tenham sido encontrados em seu uso há uma parcela de estudiosos e profissionais que a consideram inadequada ou mesmo prejudicial à saúde humana.

Estudos realizados por universidades renomadas como a USP apontaram que o Jejum Intermitente pode prejudicar o funcionamento do pâncreas e, consequentemente a produção de insulina. Há outros estudos que afirmam que essa dieta pode acelerar o processo de envelhecimento e danificação do DNA.

Quanto ao desenvolvimento do diabetes do tipo 2, o mesmo pode ocorrer em longo prazo. Todavia, é importante ressaltar que a dieta do Jejum Intermitente não serve para todas as mulheres, e mesmo assim deve ser feita com cuidado, caso contrário, poderá desencadear na desregulação ou ausência de menstruação.

Ou seja, antes de iniciar qualquer tipo de dieta, consulte um especialista que analisará o seu perfil bioquímico individualmente.

Quer receber as melhores dicas de emagrecimento? Cadastre-se agora no blog.

 

 

 

 

 

 

 

Cuidado: Jejum intermitente pode aumentar o risco de diabetes
1 (20%) 2 votes
Compartilhe!
Karen Coelho
Carioca, advogada, blogueira, coach de emagrecimento, coach de alta performance, analista comportamental do obeso e uma eterna entusiasta da vida. Criei o blog da Karen para poder compartilhar com vocês minha paixão pelo universo feminino.
1 comentário
  1. Guilherme
    agosto 10, 2018

    Poderia disponibilizar o link desses estudos?

Deixe seu Comentário